A Biblioteca Municipal foi criada por deliberação camarária, em 05 de fevereiro de 1938, com a designação de Biblioteca-Museu, com a direção do Dr. Henrique Vaz Ferreira, empossado a 23 de novembro do mesmo ano.

A Biblioteca Municipal, que viria a ser inaugurada na Festa das Fogaceiras de 1940, na antiga secretaria, no edifício dos Paços do Concelho, desde a sua criação foi, até ao ano de 1986, uma biblioteca de caraterísticas patrimoniais, com um fundo documental antigo e erudito, que, hoje, constitui o fundo de reservados.

Pode dizer-se que o empenho do Dr. Vaz Ferreira terá sido determinante para o crescimento e consolidação do espólio da Biblioteca-Museu, na medida em que, quer ainda em 1940 quer nos anos seguintes, as atas das sessões de Câmara referem, invariavelmente, a necessidade de aumentar a aquisição de livros e objetos destinados ao Museu. O interesse que então a Biblioteca terá despertado fica inequivocamente afirmado na ata da sessão de 25 de setembro de 1943 na qual se pode ler: "... A Biblioteca e Museu Municipais merecem a melhor proteção da Câmara: esta deve, na forma dos mais anos, esforçar-se por as valorizar e aumentar, tendo sempre

presente que assim não só contribuirá para maior desenvolvimento da cultura mas proporcionará à Vila um elemento que, com o andar do tempo, a há-de distinguir em equivalência com a sua tradição e valor histórico...".

Em 1965 é instalada a Biblioteca da Fundação Calouste Gulbenkian, num edifício arrendado aos Bombeiros Voluntários da Feira, “...enriquecendo assim a secção popular da Biblioteca Municipal...” (in Reunião Ordinária de 25/01/1966).
Em 1968, a Fundação Calouste Gulbenkian pretende encerrar a Biblioteca Fixa devido “...à localização ser demasiado longe do centro urbano da Vila.”
Reconhecendo a importância da biblioteca, a Câmara arrenda um novo espaço na Rua Doutor Guilherme Moreira (atualmente a Rua Dr. Elísio de Castro).

Em 1972, a Biblioteca Fixa da Gulbenkian é instalada num andar pertencente a João Nunes de Araújo Júnior, na Rua Dr. Roberto Alves, onde permaneceu até integrar a biblioteca municipal em 1987

Em abril de 1980, a biblioteca municipal muda de espaço ficando instalada no edifício do atual Instituto Geográfico Cadastral, na Rua Dr. Elísio de Castro.

Em 1986, a biblioteca municipal é instalada na Rua Correio da Feira, introduzindo novos conteúdos e disponibilizando novos serviços.
O percurso feito a partir de 1986 pela Biblioteca Municipal, passa por uma profunda transformação quando adota a tipologia e os conteúdos funcionais prescritos pelo Projeto de Leitura Pública Nacional, lançado, neste ano, pelo então Instituto Português do Livro e da Leitura.
A Câmara Municipal, revendo a sua política cultural, decide investir na leitura pública como projeto estrutural de desenvolvimento dotando, para tal, a Biblioteca existente de instalações condignas e minimamente ajustadas ao fim a que se destinavam, de um fundo documental enciclopédico e atual, de um quadro de pessoal qualificado e de uma dotação orçamental para aquisição de fundos documentais.

Depois de ter estado instalada nos mais variados edifícios, desde um pré fabricado a uma sala da antiga cadeia civil da comarca a um edifício partilhado com o registo civil e a uma loja de um prédio de apartamentos, a Biblioteca Municipal encontrou o seu espaço próprio num moderno edifício.

A 17 de junho de 2000, a nova biblioteca, uma estrutura de linhas arquitetónicas sóbrias, com 3 500m2 de área útil, que se implanta, de uma forma harmoniosa na zona nobre da cidade, e que articula, num só piso, todas as zonas funcionais destinadas aos utilizadores, abre ao público, sendo oficialmente inaugurada a 28 de julho de 2000 pelo Ex.mo Senhor Ministro da Cultura, Dr. José Sasportes.

As diferentes zonas do edifício desenvolvem-se segundo o princípio de espaço aberto, a partir de um átrio central, em dois eixos: um dotado de espaços destinados à promoção de atividades de extensão cultural da biblioteca e outro, de espaços destinados à leitura e a todo o tipo de consultas em diferentes suportes de informação.

A 12 de abril de 2006, a biblioteca é auditada pela APCER recebendo, sem nenhuma não conformidade, o Certificado de Qualidade de acordo com a ISO 9001:2000.

A 21 de junho de 2006, em sessão oficial e pública, a biblioteca municipal recebe o Certificado de Qualidade de acordo com a NP EN ISO 9001:2008.